Disco Elysium: Diretores acusam fraude em compra de estúdio

Parece que as coisas estão tensas nos bastidores do jogo Disco Elysium. Nesta quarta-feira (9), o diretor Robert Kurvitz e o diretor de arte Aleksander Rostov, fizeram acusações de uma suposta fraude no processo de compra do estúdio ZA/UM. A gerência atual, diz que o motivo da demissão de Kurvitz foi por postura de promover toxicidade e assédio moral no ambiente de trabalho.

A acusação

Em comunicado aos fãs, os diretores Kurvitz e Rostov, acusam a empresa Tütreke OÜ localizada na Estônia, de fraudar o processo de aquisição da maior parte das ações da ZA/UM, alegando que o dinheiro usado na compra, teria sido retirado ilegalmente do próprio estúdio, e teriam sido demitidos por fazerem questionamentos sobre o caso.

Aprendemos agora que Tütreke OÜ deve ter obtido o controle do Zaum Studio OÜ por fraude. Acreditamos que o dinheiro usado pela Tütreke OÜ para comprar a participação majoritária foi retirado ilegalmente do próprio Zaum Studio OÜ [ZA/UM], dinheiro que pertencia ao estúdio e a todos os acionistas, mas foi usado em benefício de um. Dinheiro que deveria ter ido para fazer a sequência.

De acordo com eles, dois empresários da Estônia, chamados Ilmar Kompus (atual CEO da ZA/UM) e alguém chamado Tõnis Haavel, teriam usado a Tütreke OÜ como um “veículo”. Os diretores ainda dizem que Haavel já foi condenado por enganar investidores em 2007.


Consulta aos advogados

Ainda no comunicado, eles fazem mais acusações sobre o suposto saque

A empresa que construímos foi saqueada e nossos próprios ganhos são insuficientes até mesmo para cobrir as taxas legais

Acreditamos que essas ações – em nossa opinião, e na opinião de nossos advogados, equivalem a delitos criminais puníveis com até três anos de prisão – foram perpetrados por Ilmar Kompus e Tõnis Haavel com o apoio de Kaur Kender, outro acionista minoritário.

A resposta

No mesmo dia, o atual CEO, Ilmar Kompus, citado nas acusações, disse seu argumento ao jornal Ekspress, da Estônia. Na entrevista, ele acusa Kurvitz de má gestão, juntamente com um ex-acionista da empresa, Saandlar Taal. Kompus também afirma que os dois depreciavam mulheres e colegas de trabalho, criavam ambiente tóxico e tinham intenção de roubar propriedade intelectual.

Em outubro, veio a público, a saída de Rostov, Kurvitz e da roteirista Helen Hindpere, que foram importantes para o desenvolvimento de Disco Elysium. Segundo o co-fundador da ZA/UM, Martin Luiga, eles saíram de forma involuntária, e não estavam mais trabalhando lá desde o final de 2021.

Sony revela jogos da Playstation Plus Extra e Deluxe para novembro de 2022

Os jogos mais baixados da Playstation Store em outubro de 2022