Capcom não tem interesse em adquirir empresas ou ser adquirida pela Microsoft

COO Haruhiro Tsujimoto disse que recusaria oferta.

Imagem/Reprodução: Capcom

Conhecida por suas franquias de sucesso, Resident Evil, Street Fighter, Mega Man, Devil May Cry, Dino Crisis e Onimusha, a Capcom é uma das empresas que mais contribuíram para a indústria de jogos eletrônicos desde sua fundação em 1983, e em meio ao mercado de compra e venda de estúdios envolvendo a Microsoft e a Sony, não está nos planos companhia atualmente, adquirir ou ser adquirida por outras empresas, segundo declaração do COO, Haruhiro Tsujimoto.

“Acho que houve muitas conversas sobre fusões e aquisições na indústria de jogos. Houve um tempo em que éramos um alvo, mas em vez de adquirir uma empresa externa, preferimos o crescimento orgânico,” revelou Tsujimoto ao Bloomberg. “É importante formar e desenvolver internamente recursos humanos para levar a cabo estratégias de crescimento. Acredito também que podemos utilizar parceiros externos, mas não temos intenção de adquirir empresas.”

O executivo também descartou a hipótese da empresa ser adquirida por outra. “Eu recusaria graciosamente a oferta [da Microsoft] porque acredito que seria melhor se fôssemos parceiros iguais,” explica.

Na última semana a Capcom lançou o DLC Separate Ways para o remake de Resident Evil 4, game que até julho desse ano já havia vendido mais de 5 milhões de cópias. Uma experiência VR também chega em breve.

Veja também:

Ela é o momento; Trailer de lançamento de Resident Evil 4 Separate Ways destaca habilidades de Ada Wong

Resident Evil 2 Remake é agora o mais vendido da franquia

Street Fighter 6 já vendeu mais de 2 milhões de cópias

Twisted Metal do Peacock está chegando a HBO Max Brasil

Resident Evil Village chegará ao iPhone e iPad em 30 de outubro